Tão Longe Tão Perto


Série Livro de Receitas – Parte 1. Ressalvas
20/11/2009, 8:01
Filed under: B com I do BRIC parte 1

Série Livro de Receitas

“B com I do BRIC”

Parte 1: Ressalvas

Com 7h e meia de diferença para o Brasil, quando começo o expediente, tenho conseguido alguns encontros virtuais felizes com minha tia Antonieta Goulart, cuja cabeça nunca pára e cujo corpo só descansa depois das 3 da manhã. Como seu instinto jornalístico foi e sempre será fortíssimo, ela me sugeriu que escrevesse para brasileiros interessados na Índia, misturando as culturas. Pensei no desafio de fazer algo como o “B com I do BRIC”.  Mas preciso ser honesta e expor as ressalvas primeiro:

  1. Seria impossível generalizar para outras regiões da Índia o que acontece aqui no sul, mais especificamente em Bangalore, onde as mais antigas tradições estão no mesmo caldeirão do pensamento feminista, da valorização da ciência e academia, do rock, da pizza Domino’s, do shopping, das empresas de software. Mesmo se o país tivesse congelado no tempo, o estado de Karnataka já teria suas idiossincrasias, sua língua, seu modo de se organizar ou desorganizar diferente de outros estados indianos.
  2. Da mesma forma, seria complicado generalizar o encontro de um(a) brasileiro(a) com a cultura indiana, já que o resultado dependeria também das origens da pessoa, seus valores, sua fase na vida etc.
  3. Os amigos brasileiros que já tinham vindo pra cá foram motivados por algo completamente diferente de mim: vieram para ashrams praticar a meditação, numa viagem profunda de auto-conhecimento e espiritualidade, seguindo a orientação de seus gurus. Tenho muito respeito por escolhas corajosas como essa e acho que um dia vou me aventurar num mergulho pra dentro de mim mesma. Mas atualmente, tenho exercitado a flexibilidade e tolerância numa proposta bem mundana, que inclui trabalho, salário, aluguel, negociação, choques culturais descobertos na intimidade do banheiro, na pronúncia dos nomes, na compra do supermercado, na hora do jantar. Então é só isso que posso oferecer.

Para não reduzir a idéia a um relato do cotidiano, vou tentar me inspirar no que mais me chamou a atenção até o momento – sem dúvida a comida – e apresentar o que se passa como se fosse um livro de receitas, mesmo sabendo que por conta dos itens 1 e 2 não há receita para ninguém. Cada experiência é única.

Então vai funcionar assim: cada item – comunicação, transporte, registro, acomodação etc – terá um post neste blog, indicando o grau de dificuldade, os ingredientes e o modo de preparo. E cada um fica a vontade para testar a receita ou incrementá-la. Bom apetite!

Anúncios