Tão Longe Tão Perto


Três e tantos erres
22/09/2009, 21:17
Filed under: Três e tantos erres

reciclagemA validade da carteirinha da escola expira no início de outubro e até lá o alojamento se esvazia para a chegada da nova leva de estudantes. Na sala de convivência, uma montanha de objetos para doação: edredons, travesseiros, casacões, luminárias, cabides, pastas, livros, material de papelaria aguardam seus novos donos, que iniciam o ano letivo no próximo mês. Também fui me despedindo de muita coisa até que todos os meus pertences coubessem em duas malas, que espero pesarem menos do que eu.

A sessão do desapego é motivada pela necessidade de carregar no braço todo o patrimônio de volta pra casa ou para um novo endereço temporário. Pensar naquele peso martelando os degraus da estação de metrô escada abaixo e aumentando a coleção de varizes escada acima também ajuda a seguir a risca a regra dos 3 Rs – Reduzir, Reciclar, Reutilizar, máxima dos movimentos ecológicos.

Claro que o valor da libra esterlina também contribui para a política anti-consumo, principalmente depois de um ano sem remuneração financeira, mas com muitos outros valiosos erres: Repensar as perguntas básicas da filosofia (donqueuvim, oncotô, proncovô); Refletir sobre causas e consequências das escolhas; Reaprender a estudar, viver com pouco, achar os limites, esticar os limites, reencontrar os limites; Retomar planos que estavam adormecidos; Renovar a capacidade de conhecer, admirar, se indignar, se assustar, testar, arriscar, se frustrar, enfim, tudo o que acontece também no dia-a-dia da vida familiar, social e profissional, mas de uma forma tão repetitiva  e apressada, que a gente fica com a sensação que um ano de afastamento provocou muito mais mudança. Talvez porque o estranhamento nos exija desautomatizar tanta coisa que fica difícil voltar pro mesmo trilho, sem tentar um caminho diferente. O exercício é viciante. 1, 2, 3, lá vou eu.

Anúncios